Status: online

  • 31 março, 2020 - Chenut na Mídia

Luiz Gustavo Oliveira Rocholi

O Judiciário deve fazer todo o esforço possível para disponibilizar os meios para que esses atos possam ser praticados por videoconferência ou por chamada telefônica.

Não há como negar que a pandemia é séria e vai causar um estrago na economia bem maior do que se imaginou. Também não há como continuar vivendo como antes, sem adaptar a rotina e evitar contatos sociais.

O momento exige prudência, calma e sabedoria. É dever de todos contribuir para que o vírus não propague, mas temos que fazer isso com o menor impacto possível na economia.

No âmbito do Judiciário, limitações de acesso às sessões de julgamento e suspensão de audiências, reuniões e despachos presenciais são medidas necessárias. Contudo, o Judiciário deve fazer todo o esforço possível para disponibilizar os meios para que esses atos possam ser praticados por videoconferência ou por chamada telefônica. Os processos no Brasil já são demasiadamente demorados e a justiça lenta pode ser sinônimo de não-justiça.

Do mesmo modo, as empresas devem ter sabedoria para diminuir ao máximo a circulação dos seus colaboradores e, ao mesmo tempo, reduzir ao mínimo os impactos na produtividade.

Não será nada fácil lidar com uma “pandemia” de desempregados e falidos, que virá caso não deixemos de lado o medo irracional e as medidas inconsequentes. Sejamos prudentes!

_____________________________________________________________________

*Luiz Gustavo Oliveira Rocholi é advogado do Chenut Oliveira Santiago Advogados.

Fonte: Migalhas. Acessado em: 31/03/2020.



Voltar à página anterior

Cadastre-se em nossa Newsletter