Stock Split ou desdobramento de ações

  • Philippe Boutaud-Sanz e Yasmin Peron Pereira - 12 maio, 2020 - Artigos

O Stock Split (ou desdobramento de ações) caracteriza-se pela divisão de uma ação de uma sociedade anônima em duas ou mais, quando uma companhia decide aumentar a quantidade de ações que possui em circulação no mercado, enquanto promove, ao mesmo tempo, uma diminuição proporcional do valor nominal daquela ação.

Através desse mecanismo, na prática, ocorre um aumento do número de ações em circulação, sem que haja um aumento de capital, uma vez que as ações existentes são divididas, mas o valor subjacente permanece o mesmo. Nesse caso, conforme o número de ações aumenta, o preço por ação diminui, proporcionalmente.

Assim, o split de ações acaba por torná-las mais atraentes para uma gama maior de investidores, uma vez que ações com preços mais baixos – sem que tenha havido perda de valor da empresa –, incentivam novos investidores, que antes não detinham capacidade econômica para fazê-lo, a aplicarem seus recursos naquela companhia. Esse maior número de papéis em circulação implica, portanto, em maior liquidez disponível no mercado e potencial expansão da base de acionistas.

É comum notar que, quando o preço de uma determinada ação alcança patamares elevados, acima dos níveis de preços de empresas de segmento e porte similares, há uma tendência de redução do volume de negociações desses papéis, o que impacta em um funcionamento ineficiente do mercado.

Nesses casos, o split de ações traduz-se como um eficiente mecanismo a ser adotado com o propósito de infundir liquidez e tornar as ações mais acessíveis ao mercado como um todo, de forma mais ampla.

Recentemente percebe-se uma maior adoção desse instituto por companhias brasileiras. Um exemplo de sucesso disso é a varejista Magazine Luiza, que se utilizou do mecanismo em 2017 e, recentemente, o fez novamente em 2019, oportunidade em que desdobrou suas ações na proporção de 8 para 1. Se antes cada ação chegou a ser negociada por mais de R$ 280,00, após a operação esse valor caiu para R$ 36,00. Atualmente, poucos meses após o desdobramento e mesmo diante do cenário econômico desafiador que encontramos, cada ação já está sendo negociada por aproximadamente R$ 50,00.

Em suma, com o aumento do número de ações disponíveis aos investidores e a diminuição do preço de compra de cada uma delas, proveniente do desmembramento de ações, é possível verificar um maior volume de negociações desses papéis, o que por sua vez, não raramente provoca um aumento do valor de mercado dessas ações a curto e médio prazo. Trata-se de uma medida geralmente adotada por empresas que já passaram por uma forte valorização na bolsa e veem perspectivas de uma alta ainda maior.



Voltar à página anterior

Cadastre-se em nossa Newsletter